terça-feira, 31 de março de 2009

filatelia

PONTO CRÍTICO

O criticismo deve sempre ser aceite, até com agradecimentos, na maioria dos casos. Confesso que sou extremamente crítico de mim mesmo. Essa capacidade de nos criticarmos a nós próprios, é o que nos dá a autoridade para mencionar criticamente, certas actividades que conhecemos.
Desempenhando um cargo visível, há que não considerar-se acima de qualquer crítica, denotando falta de humildade, não a ponderar na actividade que exerça.
Falta-lhe então a grandeza de possuir, o importante, o espírito crítico.
Acontece, que quando teço uma crítica, é porque testei uma ideia sobre o assunto, até julgo (julgo) saber aconselhar como fazer.
Nessa base, estou perfeitamente à vontade para dizer que a filatelia portuguesa, nem na sua componente oficial, menos na cúpula federativa, se adaptaram minimamente, à actualidade.
Vejamos só isto, ambas as estruturas deram informações, a órgão de informação especializada, de fora do país, que nem sequer estavam oficializadas cá.
Foi possível regista-las aqui, para saber que, a primeira não foi cumprida!
A informação atempada e credível, faz parte do êxito de qualquer evento, exemplos de realizações filatélicas do Sporting Clube de Portugal, no ano transacto, realçados no “Serviço FRANQUIA”, que tem procurado andar informado, como pode.
Há outros exemplos, de que são paradigmas, Carlos Calheiros da Silva ou Hernâni de Matos.
Quem realiza, tem de pensar em publicitar os eventos, por todos os meios.
Actualmente, tudo deve ser devidamente divulgado, por meio da Internet.
Hoje fico por aqui, deixando um linck, que recebi, como exemplo:

SELOS NOVOS – PORTUGAL

800 Anos da Ordem dos Franciscanos: Série emitida em 31/03/2009, com carimbos comemorativos de Primeiro Dia de Emissão, nas Estações seguintes: Correios dos Restaurados, Lisboa; Correios do Município, Porto; Correios Zarco, Funchal; Correios Antero de Quental, Ponta Delgada.
Pelos 25 anos de idade, Francisco Bernardão, nascido na família mis rica de Assis, chega à conclusão de que a felicidade e a liberdade só seriam autênticas se inspiradas pela pobreza evangélica. E age em com sequência, com tal conversão, o jovem de Assis atrai os companheiros de ontem para a sua nova forma de vida e reúne doze em torno do mesmo ideal.
Em 1209, dirigem-se a Roma para solicitar ao Papa Inocêncio III aprovação para o seu modo de vida, mas a confirmação só foi efectuada, por Regra bulada de Honório III, em 1223, A partir daí, este Instituto religioso assume a designação de Ordem do Frades Menores (OFM).
Poucos anos depois, em 1212, a nobre Clara de Assis, aliciada pelo êxito do seu patrício, Francisco, funda as senhoras Pobres. Em 1253, também ela consegue obter do Papa o “privilégio da pobreza” mediante Regra aprovada, embora só nas veras da sua morte. Nasce assim a Ordem de Santa Clara (OSC).
Taxa e tiragem: € 0,32 – 330.000
Bloco: € 2,50 – 60.000
Ilustrações: Carlos Barahona Possollo
Desenhos: Túlio Coelho/Acácio Santos
Impressão. INCM.

Daniel Costa

1 comentário:

xistosa - (josé torres) disse...

Amigo Daniel Costa
Afinal não são só selos e envelopes.
Também tem História, se bem que eu tenha sido um aluno muito fraco que não decorava datas que era o que interessava, ou o mais importante, antigamente.