sexta-feira, 27 de março de 2009

filatelia

FRANQUIA - Edições - trinta anos de vida

Depois de minuciosa escolha dum nome, que desse sentido ao objectivo de editar uma revista de filatelia, em 1972 registei o periódico mensal, com o nome de FRANQUIA - Revista Filatélica Portuguesa.
A demarche foi feita nos Restauradores, no SNI - Secretariado Nacional de Informação, ficando como propretário Daniel Cordeiro Costa, que também era o director, podendo usar o pseudónimo de Miguel Foz.
Tudo bem, mesmo servindo para o efeito apenas o Bilhete de Identidade. Estava actualizado, porém dava-me como trabalhador agricola.
Entretanto tinha já adquirido outras qualificações.
Ainda guardo esse BI, a título de curiosidade, porque posso demonstrar, que devo ser o único, oficializando aquela profissão, a dirigir um periódico.
A FRANQUIA, começou a sair em Janeiro de 1974, só depois o SNI a aprovou, não sem querer reparar ser perseguido. Via um o estranho à saída de casa, notava-se o mesmo á porta do emprego, o telefone também esteve em escuta. Mais tarde vim a conhecer, que um dos três chefes da Comissão de Censura, sendo filatelista meritório, deve ter tido interferência positiva.
A experiência estava a mostrar-se interessante: Angola revela-se um mercado por excelência, todas as carreiras de Avião (na altura eram intevalados de um dia) traziam novos assinantes, cujo pagamento vinha em cautelas de lotaria premiada, já que estavam interdias transferências monetárias.
Chegou Abril, o mercado africano depresa se desmoronou e o meu sonho desfez-se. Mesmo assim aguentei até 1977, tendo sido distinguido com bastantes medalhas, mesmo internacionais, as quais estão certificadas com os respectivos diplomas.
Na atura já com outros negócios correlativos, com o mesmo registo e denominação, possuindo ficheiro, iniciei a edição do Bolsa Jornal Clube Franquia, uma publicação em jeito de catálogo de vendas, que duraria até 2000. Foram editados 223 números.
Hoje, abrindo-se o Google em Filateia Caetano, pode ver-se de entrada, alguém ter-me feito justiça, referindo-me num singelo mas verdadeiro prémio à minha tenacidade, porque depararam-se-me outros caminhos, decerto mais rentáveis.

Daniel Costa

1 comentário:

xistosa - (josé torres) disse...

Era para lhe deixar aqui o link para Filatelia caetano, mas hoje o Blogger não me aceita o "html"

Amigo Daniel Costa
Angola principalmente, porque foi a que conheci melhor, tinha lindíssimos selos.

Não sei se leu a notícia de um vice não sei quê, da Casa da Moeda que andava a vender os selos e moedas que estavam no cofre.
Talvez para aliviar o peso do dito cofre.