terça-feira, 21 de junho de 2011

REVISTA COFI

REVISTA COFI – CORREIO FILATÉLICO

Como sempre vem acontecendo regularmente, recebi o número 220, correspondente a Janeiro / Março, de 2011, deste importante periódico filatélico, agora menos, mas sempre atrazado.
Em editorial, como é óbvio, o novo Presidente dos Correios (do Brasil), Wagner Pinheiro de Oliveira, tece as suas loas à importância da empresa. De caminho também à da filatelia.
                                             
Tanto bastou, para originar dois artigos de critica bastante dura, no jornal one line FILATELIA 77, sobre a demora nas entregas do correio. O segundo artigo tem muito a ver com a falta de resposta, uma vez feitas “démarches”, para o conseguir.
Na verdade, na qualidade de autor, os meus livros, enviados por via aérea nunca chegam, ao destinatário, em menos de um mês. De um soube ter demorado 45 dias.
Oh Senhor Wagner Pinheiro de Oliveira, não acha o correio aéreo (especialidade filatelica), andar a passo de caracol, ainda que tendo em conta que passará pela alfândega. Não haverá, de facto, muita negligência da empresa que dirige?
                              
Adwaldo Cardoso Botto de Barros, 
o Presidente dos Correios do Brasil,
que impulsionou a qualidade artística dos selos do país.
Na LUBRAPEX 1980, em Lisboa, observando um quadro.

Já que se aborda o assunto negligência, de pura negligência se trata. Os Correios de Portugal, não estão de modo algum isentos, além de várias demoras de entregas que, na qualidade de jornalista filatélico, tenho registado. Uma aconteceu-me há pouco, uma carta remetida em Correio Azul demorou oito (8) dias, de Lisboa ao Porto, o que não acontecia no tempo do Correio a Cavalo, de que os filatelistas sabem, apenas demorava um dia.
Tratava-se de uma correspondência importante (todas o deviam ser para a empresa, a razão da existência dos CTT), a carta destinava-se à minha editora, com contracto assinado e respectivo cheque. Como será de calcular, originou ter de deslocar-me junto do banco suspender o cheque, não fosse haver extravio.
Os CTT responsabilizam-se e pagam estes trabalhos?

PROGMAÇÃO FILATÉLICA DOS CORREIOS DE PORTUGAL

Pode ser aberto o link, que deixo, como sempre de FILATELIA 77, de São Paulo, Brasil. Os CTT parecem, lastimavelmente desinteressados, de promover os seus produtos filatélicos em Portugal, como pode ser observado.
Jamais recebi o programa.

SELOS NOVOS – PORTUGAL

– Escola de fuzileiros – 50 anos - Com carimbos comemorativos de Primeiro Dia de Emissão, Estações dos Restauradores – Lisboa; Município – Porto; Zarco – Funchal e Antero de Quental, os CTT de Portugal lançaram uma série de selos e um bloco em 03/06/2011.
                                          
Taxas e tiragens: €uros 0.32 - 370.000; 0.80 – 155.000
Bloco: com um selo de €uros 2.50 – 60.000
Desenhos: Atelier Acácio Santos / Elisabete FonsecaImpressão: Joh. Enschedé

Abrir o link abaixo e ver um verdadeiro festival de filatelia. Está sempre actualizado

http://www.filatelia77.com.br/informativo/

Convido também a abrir o link seguinte e a visualizar a video.

http://www.youtube.com/watch?v=Q_6y5RVd9WE
Daniel Costa

2 comentários:

lita duarte disse...

Eu sempre gosto de vir aqui e ver os selos, gosto das cores e desenhos.
Depois confiro as palavras.:)

Beijos Daniel!

xistosa - (josé torres) disse...

Os "profissionais da arte" do selo, que se actualizem AQUI!!!

Estou fugido por causa de um ataque de vírus...
Como não percebo patavina... tive que convocar o Congresso dos caçadores de Portugal, (que nem sei se existe...) rs, rs, rs,
Não devo morrer e vou voltar.

Um abração do mesmo de sempre.