sábado, 10 de outubro de 2009

adafa



PROVAS DE MOÇAMBIQUE
E A FILATELIA EM PORTUGAL

Em 21 de Dezembro de 1978, a República Popular de Moçambique, lançava a sua série comemorativa Dia de Selo, tema Desportos, seis selos, cujo valor facial foi de 50$00.
Eram tempos pós Revolução de 25 de Abril, em que Portugal tinha dado a Independência às suas Colónias, onde se contava Moçambique, pais do Índico.



Do embarque apressado, ficaram colonos, talvez por estarem em lugares de transição.
A filatelia era representada, pelo então Clube Filatélico de Moçambique, com a sua sede na capital, Lourenço Marques, actualmente Maputo.
A sua massa associativa era exclusivamente de continentais de Portugal. Saíram desses os novos mentores da filatelia do novo país.
Na série citada, ainda teria ficado o papel necessário, sem controlo. Com os fotolitos da série desataram a ordenar a emissão das respectivas cores em separado.
Quantos exemplares? Não consegui apurar, mas terão sido muitos, pelo que vai ficar dito será demonstrado.

Chamaram-lhe provas!
Tanto quanto apurei, deviam chamar-lhe fraude filatélica, visto que foram reprodução, em grande profusão!
Provas de impressão, são apenas as necessárias apenas, para o artista ou a própria entidade emissora aprovar da impressão.
Depois disso, o que aparecer são reproduções!
O certo é que depois, em Portugal havia inimaginável quantidade de “provas” nos mercados da especialidade em Lisboa e Porto e não só

Entretanto já havia peças destas em colecções competitivas.
No número de Maio de 1997, o 186 do “BOLSA JORNAL CLUBE FRANQUIA”, apresentou uma oferta de venda de cerca de 120 destas peças, no valor superior a 50.000$00, quantia interessante, na época.
Estes exemplares haviam sido adquiridos no mercado de Lisboa, destinados a investir.

SELOS NOVOS – PORTUGAL

Correio escolar: sob o lema “Vamos reciclar para o mundo melhorar”, saiu uma série de selos em 09/10/2009, carimbos comemorativos de Primeiro Dia de Emissão nas seguintes Estações: Restauradores – Lisboa; Município – Porto; Zarco – Funchal; Antero de Quental – Ponta Delgada; Rua Bento Carqueja – Oliveira de Azeméis; Rua Godinho Faria – S. Mamede Infesta; Passeio Infante D. Henrique – Figueira da Foz.
Taxas e tiragens: € 0.32 – 330.000, € 0.47 - 230.000, € 0.68 – 230.00
Ilustrações: Martina Marques Teixeira Santos (selo de € 0.32), Joel Filipe da Silva Carmo (selo de € 0.47), Manuel Pedro A. B. Paiva Martins (selo de € 0.68)
Desenhos: António Magalhães
Impressão: Cartor



A Declaração dos Direitos da Criança, adoptada pelas Nações Unidas há exactamente meio século, considera que “a humanidade deve à criança o melhor dos seus esforços”, com vista a proporcionar-lhe “uma infância feliz”. No âmbito de tão amplo e generoso propósito, cabem certamente as emissões filatélicas do “correio escolar” que os CTT Correios de Portugal têm vindo a lançar anualmente.

PALMARÉS LUBRAPEX 2009

Foram já afixados os prémios da festa trianual da filatelia Luso-Brasileira de filatelia LUBRAPEX, que em 2009 teve lugar na cidade de Évora, Portugal, onde decorre de 2 a 14 de Outubro.
Assim o Grande Prémio de Honra foi atribuído ao conhecidíssimo filatelista João Moura, Portugal; Grande Prémio Lubrapex 2009 a Eduardo Manuel Moreira Barreiros, Portugal; Prémio Portugal a José Alberto Jurges, Brasil; Premio Brasil, Júlio Manuel Pedroso Maia, Portugal.
(Por deferência de Hernâni Matos, a quem agradeço, desde já)

Daniel Costa

3 comentários:

Val Du disse...

Daniel

Os selos me encantam, porque além da arte eles contam muitas histórias.

Maravilha!

Beijos.

xistosa - (josé torres) disse...

Daniel Costa, como diz a Vai Du, os selos contam muitas histórias, ou muita história, mas não falam se foram feitos "contra a mão".
As armas nas mãos de irresponsáveis semeiam a destruição.

Um abraço

xistosa - (josé torres) disse...

Esqueci-me de dizer que já me acabaram as obras no blog.

Passei as passas do Algarve e até estive para fechar tudo ...
Mas a Fa menor, Fa menor, foi uma senhora impecável e fez-me regressar à vida.

Um abraço.