terça-feira, 7 de agosto de 2012

DUAS PEÇAS FILATÉLICAS



DUAS PEÇAS FILATÉLICAS
DOS CORREIOS BRASILEIROS

Nunca será de mais mencionar, que além de editar e dirigir, cerca de trinta anos, a revista FRANQUIA, que eu próprio criei, serei eu (mesmo extra revista), mais escrevi, em Portugal, sobre filatelia.
Do meu currículo, faz parte, uma reportagem para Itália e doze anos fui “Frelancer”, para e revista, CRÓNICA FILATÉLICA, de Madrid, que culminou com o estrondoso colapso da Afinsa, a empresa proprietária, em 2006.
O Brasil, por ser país irmão, sempre fez parte das minhas opções, mesmo de peças para Madrid, sobre documentos filatélicos, que se relacionavam com Portugal, já que era pressuposto, abordar apenas a filatelia portuguesa.
Depois de uma patologia, um trambolhão deveras espectacular, um ataque vascular cerebral (AVC), com intervenção cirúrgica, ao cerebelo, do que resultou ser entregue à família, em estado terminal.
Vim a retomar, por mais quatro números a FRANQUIA, até que vi ser menor a minha destreza mental para continuar.
Definitivamente, dei a revista por termina, em 2001.
Para a CRÓNICA FILATÉLICA, continuei a escrever.
Mais tarde, em 2011, tornei-me escritor e poeta.
Novas prerrogativas, foram criadas, já que escrever, é uma forma de poder!
Foi assim que me foi ofertado o livro A VIAGEM, pela sua autora, a escritora Evanir Garcia.
Cujo envelope reproduzo, por ser jóia de filatelia moderna.
 
A autenticar a sua circulação uma etiqueta de código de barras e carimbo de chegada no verso.
Outro elemento, que me é muito caro menciona, é a marca que ostenta a palavra Franquia.
Quando registei a revista FRANQUIA, em Janeiro de 1973, a palavra não era usada em português.
Foi uma antecipação, na altura criticada mesmo.
Neste espaço, não podia deixar de atribuir o nome de FRANQUIA, que continuo a ter como uma espécie de filha.
Outra peça de filatelia moderna, resume-se, a um documento também emitido pelos correios do Brasil que acompanhou, uma encomenda, que uma amiga me enviou como oferta.
 
Aos leigos, em filatelia, a menção e a reprodução, dos dois documentos pode parecer estanho.
Não o é, visto que todos os impressos emitidos, pelos correios, para envio de correspondência, se definem de filatelia,


Abrir o link abaixo e ver um verdadeiro festival de filatelia. Está sempre actualizado


Daniel Costa




3 comentários:

Evanir disse...

Querido Amigo Daniel .
Creia você consegue me surpriender sempre.
Tenho um amigo muito especial do outro lado do mar.
um Dia desse vou tentar escrever um poema só par você.
Claro não sou poeta mais vou tentar ser a melhor improvisadora possível.
Obrigada por esse carinho que me dedica também amo muito você meu amigo.
Beijos na sua alma,Evanir.

Bandys disse...

Olá Daniel,

Hoje mudei um pouquinho.
Adorei saber dos selos.
Muito interessante.

Beijos

Gracita disse...

Querido amigo Daniel
Hoje passeando por aqui e lendo seus textos explanações sobre a filatelia veio-me a recordação da infância do meu filho que sempre gostou de colecionar selos, apesar de não ter nenhum conhecimento sobre o assunto. Lembrei-me de que juntos descolávamos os selos com maior cuidado para não os rasgar. Ele ainda os tem. Não coleciona mais. Uma época interessante das nossas vidas. Bem meu amigo cadda dia conhecendo um novo espaço.
Adorei conhecer este aqui.
Beijos de amizade.
Gracita