sexta-feira, 5 de novembro de 2010

FRAQUIA / FILATELIA

CLUBE FILATÉLICO DE PORTUGAL

Sendo o grandioso Clube Filatélico de Portugal, uma das maiores colectividades filatélicas da Europa, também possuindo uma das maiores bibliotecas europeias de especialidades filatélicas. É sem dúvida uma das melhores e de melhor gestão actualizada de Portugal.
Esta é a minha opinião, a qual tenho o insuspeitável e inalienável direito de exprimir, sem receio dessa entidade censora da filatelia, que já o fez oficialmente, contra um escrito meu, no fundo a confirmar a veracidade do que havia do que estava escrito.
Portanto fiquei satisfeito da grande entidade da filatelia ter-se movido no sentido de estar presente com Stand. na PORTUGAL 2010.
Como uma Exposição Internacional FIP, em Portugal não podia ser ignorada pelo maior Clube congénere do país, o mesmo se movimentou para estar presente.
Depois de uma perseguição feroz, que foi ultrapassando com a maior dignidade, perante interesses mesquinhos, de quem quis se ser mais papista que o papa, como sói dizer-se.
Usou a mesma dignidade para celebrar honrosamente o transcendente certame internacional que Lisboa albergou.
Editou o seu Boletim, de periodicidade trimestral, de modo a comemorar efectivamente, A PORTUGAL 2010, com nada menos de 452 páginas, sem introduzir as 14 fotos com o Director no seu Boletim, como já pude ver com pasmo noutra publicação paga com fundos públicos. Realmente a publicação é para os associados e não para o director,  mostrado desconhecer simples pormenores como esse.
Os leitores querem ver notícias, mesmo que sejam fotográficas e desde quando um director é notícia?
O meu objectivo é enaltecer a postura do CFP, mesmo hoje não sendo associado, por motivos transcendentais, não posso deixar de reconhecer a sua importância no filatelismo nacional.
Enfim, e passo a uma necessariamente breve, apreciação ao Boletim:
A publicação está, como sempre, com maravilhosos artigos de consagrados escritores filatélicos de Portugal e não só. Eis a citação dos seus nomes para se ficar com uma ideia do esmero, com que os associados puderam contar:

Luís Frazão, Eduardo Barreiros e Luís Barreiros, Elder Manuel Pinto Correia, John R.G. Dahl. Pedro Gonçalves Grade, Michéle Chauvert, Acácio Horta da Luz, J. Miranda da Mota, Fernando Bernardo, Guilherme Rodrigues. Albertino da Silva Pinto, Jorge Luís P. Fernandes, Joaquim Lopes Trindade, Carlos Kulberg, René Rodrigues da Silva, Luís Martins Barroso, Joaquim Sousa Lobo, Armando Bordalo Sanchez, Horácio Magioli Novais, José Fernandes Guerreiro, Luís Manuel S. Fernandes, Luís Guilherme G. Machado, Adelino Melo Caravela, Fernando Aranaz, Fernando M. Oliveira, João Manuel Lopes Soeiro, Inácio Miranda, Carlos Pedro Santos, Manuel Janz, Fernando Oliveira Pinto, Rodrigo Soeiro, Paulo Rui Barata, Carlos Alberto Silvério, António Abreu, José Andrade Lima Correia, Abílio Beja Madeira, Jorge de Oliveira, António Cabral Rego e Bento Grossinho Dias, Joaquim Manuel Cortes, João Pinheiro da Silva, Jorge Lourenço, Fernando T. Xavier Martins e Américo Rebelo.



Destaque, para a abertura à Maximafilia, uma especialidade que em os últimos seis autores se debruçaram, o incentivo que faltava, e CFP tem bons associados nesta especialidade, não desejo destacar ninguém. Referência para mim próprio, à parte: no artigo de Cabral Rego e Bento Grossinho Dias, a página é fechada com duas reproduções que me dizem respeito.
São elas: Catálogo da I EXPOSIÇÃO NACIONAL DE MAAXIMAFILIA, de minha elaboração e Catálogo de POSTAIS – MÁXIMOS, que o autor, sem dúvida, o então maior Maximafilista do mundo, o Engº. António dos Santos Furtado, me ofereceu autografado.
Foi bom saber onde está, nem sei como me desfiz dele, tanto mais que possuo uma peça igual.

Deixo uma palavra de simpatia ao Director do Boletim, Elder Manuel Pinto Coreia, pela empresa levada a cabo na coordenação do presente BOLETIM, que representa labor esforçado.
Evidentemente não devo esquecer os autores, na maior parte conhecidos, por mim, pessoalmente.

Daniel Costa

1 comentário:

xistosa - (josé torres) disse...

Os técnicos e conhecedores t~em a palavra.
Quem não percebe, cala-se.

Um bom domingo.