sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

adiafa filatelia




Sigurdur R. Pétursson
Comissário da Islandia


Dhirubhai Mehta
Comissário da Índia

VÁ PROGRAMANDO A ESTADIA DE UNS DIAS EM LISBOA, DE 1 A 10 DE OUTUBRO DE 2010, TERÁ UMA CIDADE BONITA E ANTIGA PARA APRECIAR, UM CLIMA AMENO E A EXPOSIÇÃO DE FILATELIA, PORTUGAL 2010, A FESTA DA FILATELIA MUNDIAL PARA VISITAR!



MOSTRA FILATÉLICA


Incluída nas comemorações do trigésimo Aniversário do Hospital de Faro, este levou a efeito uma mostra filatélica de 21 a 29 de Dezembro de 2009.
Eis como a filatelia exposicional se pode tornar uma manifestação de cultura a fazer parte de um pacote a divulgar o motivo de qualquer de qualquer evento ou efeméride, como aconteceu em Faro.
Estiveram expostas colecções, de oito filatelistas de reconhecido mérito como são:



Francisco Paiva – “O Hospital”
Sérgio Pedro – “O Mundo da Psicologia”
José Geada de Sousa – “A Transfusão de Sangue – Um Pouco de História”
José Pinto – “A Cruz Vermelha Portuguesa”
José Pintado – “Os Azulejos em Portugal”
Jorge Bomba – “Israel – Os Oito Primeiros Anos de Filatelia”
João Pinheiro da Silva – “Grandes Figuras da História de Portugal”
António Fonseca – “A Aviação”
Albano Parra – “Sobrescritos de 1º. Dia de Espanha”
João Pinheiro da Silva – “O Principado do Mónaco”


A realização foi do Hospital de Faro e do Núcleo de Filatelia de Faro, que contaram com o apoio da UNIR.
Os CTT deram a sua colaboração, emitindo um Inteiro Postal Alusivo, além de um Carimbo Comemorativo, que era aposto nas correspondências apresentadas no local da exposição em 29/12/2009.
Há um reparo a fazer: no local não era possível adicionara etiqueta do código de barra. Como se sabe, a correspondência que seja obliterada com carimbos comemorativos, é enviada por filatelistas, clientes a ter em conta.

Estes desejam que a circulação fique atestada, o que por amostragem não está acontecer: Não será possível serem tomadas medidas para satisfazer esses clientes de bastante peso dos Correio.

PONTO CRITICO

Trata-se do que foi um mau serviço dos CTT Correis de Portugal, uma carta registada em 20/12/2009, na Estação D. Afonso Henriques, em Lisboa chegou ao destinatário, na mesma cidade a 30/12/2009.
Ora, uma cara registado dentro de país demora D + D, tendo em conta que o expedidor não inseriu os números do código postal, logo aí o funcionário que procedeu ao registo agiu com negligência. Na hora devia procurá-lo, afim de ajudar o cliente a completar o serviço.

Depois na Central Distribuidora, mais displicência. Ali quando muito, poderia demorar mais um dia.
Admita-se 3 dias na demora, no caso, de uma carta de registada, mas dez dias?
Acresce ainda que a correspondência, não ostenta carimbo de chegada, presumo que devia.
Em que país vivemos afinal meus senhores?

O dia de chegada ficou anotado a lápis na própria carta.
Não se estranhe, este assunto de ser filatelia. Tenha-se em conta:
- Tudo o que fizer parte da historiografia de uma operadora postal é eminentemente filatélico.

Link da entrevista que o Director da Filatelia do CTT me concedeu em 27/10/2009.

 
http://sol.sapo.pt/blogs/mitalaia/archive/2009/10/28/FRANQUIA-_2D00_-Entrevista-com-o-Dr.-Raul-Moreira.aspx


Também publicado no JORNAL DA AMADORA, em 14/11/2009

OUTRO LINCK DE POST CONTENDO UMA CRITICA QUE ME É DIRIGIDA. ABRINDO ESTE, MAIS OUTRO LINK CONTIDO, O QUE O ORIGINOU APARECE.


TODOS MERECEM SER VISTOS.


http://sol.sapo.pt/blogs/mitalaia/archive/2009/11/17/SORRISO-DE-BENEVOL_CA00_NCIA.aspx

Este último, não é possível abrir directamente, o me faz desconfiar, tendo em conta o que os entendidos em informática conseguem: Só colando na barra do Google, mais uma razão para o leitor, se dar a esse “didáctico” trabalho.



Daniel Costa


1 comentário:

xistosa - (josé torres) disse...

Caro amigo Daniel Costa.
No meu tempo usava-se um "apagador" para "limpar" o quadro negro.
Passe uma esponja sobre a sobranceria e malidicência.
Quem o lê neste local e nas outras "casas" sabe com quem pode contar.
2010 é um novo caminho a percorrer.
Vamos ficar mais velhos ... mas deixe o presidente da FPF também envelhecer.
Talvez pense melhor ...

Parece que já lhe "disse" aqui.
Há cerca de 30 anos o m/filho enviou, de Espanha, onde estávamos em férias, uma carta para o avô, meu pai).
Só colocou o nome e Portugal. (Nem rua, número ou outra indicação).
Sabe que a carta foi entregue no Porto, na residência?

Um bom ano de 2010.
Com selos e sem maldizentes.

Um abração.